by Antônio Carlos Kantuta

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Brisa...brisa...brisa

Daniela Mercury na Festa de Parintins 2010






Quando eu peguei o meu chapéu
E vim morar em Salvador
Eu não sabia o que o céu
Nem a "espada de Xangô"
Um guaraná, Nanã me deu
Quando eu cheguei no Curuzu
Um beijo doce feito mel
Senti saudades de Dodô
(...)

"Foi pra cá de Deus e foi pra lá de Ogum, pra lá...
Esse é o meu forte que me fez Rainha!"


Marisa de Verdade


Pousa-se toda Maria
No varal das 22 fadas nuas lourinhas
Fostes besouro Maria
E a aba do Pierrot descosturou na bainha
Farinhar bem, derramar a canção
Revirar trens, louco mover paixão
Nas direções, programado e emoldurado
Esperarei romântico...






A Música Quântica do Mar

Dona Maria
Dona Janaína
Dona dos cinco nomes
Senhora dos sete mares,
Odoyá!
Música eletrônica no ar
Pétalas eletrônicas no mar
Corpos eletrônicos a dançar
O cacuriá dub tribal nas
Vinhetas da revolução de Sobá.
Antônio Carlos Kantuta
Horizonte
Alma em suspiro
Pelo encontro
Do que fica
Sempre mais longe.


Henriqueta Lisboa, Reverberações (1976).

terça-feira, 13 de julho de 2010

Clip Sol do Sul (Daniela Mercury)

video

New Zeland... What a Wonderful World

O Canto do Negro Veio Lá do Alto...

Georges Momboye in Back To Africa

Lua Tímida...

Shy moon,
Hiding in the haze
I can see your white face
Hope you can hear my tune,
Shy moon
Why didn't you stop her
Don't you know I suffer?
And you'll watch me cry soon,
Shy moon
Glow through the polution
Find me a solution
I'll wait on the high done,
Shy moon...
Shy Moon, Caetano Veloso.

Bubuia, by Céu


Já que não estamos aqui só a passeio
Já que a vida enfim, não é recreio
Eu vou na bubuia, eu vou
Flutuo, navegando, sem tirar os pés do chão
365 dias na missão...
Na bubuia, eu vou...

Subo o rio no contrafluxo
À margem da loucura
Na fé que a vida após a morte,continua
Eu vou na bubuia, eu vou...

Entoo uma toada em dia de noite escura,
Na sequencia, na cadencia, na fissura...
Eu vou na bubuia, eu vou...
Eu vou suave bebendo agua na cuia
Olho aberto, papo reto
O peito como bússula.
Nenhum receio do lado negro da lua,
Que me guia, na bubuia
Eu vou, na bubuia, eu vou..
O destino é o mar onde vou me desfazer,
Contente a deslizar na correnteza do viver
Na bubuia eu vou..
Eu vou na bubuia, eu vou..

Daniela Mercury no Carnaval de Salvador 2010




Em Meu Ofício Ou Arte Taciturna

Em meu ofício ou arte taciturna
Exercido na noite silenciosa
Quando somente a lua se enfurece
E os amantes jazem no leito
Com todas as suas mágoas nos braços,
Trabalho junto à luz que canta
Não por glória ou pão
Nem por pompa ou tráfico de encantos
Nos palcos de marfim
Mas pelo mínimo salário
De seu mais secreto coração.

Escrevo estas páginas de espuma
Não para o homem orgulhoso
Que se afasta da lua enfurecida
Nem para os mortos de alta estirpe
Com seus salmos e rouxinóis,
Mas para os amantes, seus braços
Que enlaçam as dores dos séculos,
Que não me pagam nem me elogiam
E ignoram meu ofício ou minha arte.

Dylan Thomas